Pesquisar Apaes

Você deseja ir para qual instituição Apae? Clique nas setas para visualizar as opções.

Estado

Unidade

Histórico

A história do Movimento Apaeano no Distrito Federal começou quase que simultaneamente com a criação da nova capital federal. Foi no dia 20 de agosto de 1964 que a APAE-DF (ainda chamada APAE Brasília) teve sua fundação registrada numa sala do gabinete de psicologia da Secretaria de Educação do Distrito Federal. Na ocasião, foi nomeada uma diretoria provisória, tendo a Sra. Dalila de Castro Lacerda como presidente, esposa do então Ministro da Educação e Cultura, Sr. Flávio Suplicy de Lacerda. Como presidente de honra, ajudando a estruturar as diretrizes da nova associação, foi escolhida a pesquisadora e pedagoga de origem russa, Sra. Helena Antipoff , pioneira da educação especial no Brasil e que chegava à cidade para as comemorações da 1ª Semana Nacional do Excepcional (futuramente rebatizada de Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla).

 

A criação de uma APAE em Brasília foi uma reivindicação de famílias de pessoas com deficiência que já necessitavam do apoio de instituições filantrópicas, uma vez que as estruturas do Estado na nova capital ainda estavam em construção. Desde então, por estar situada numa unidade federativa relativamente pequena, a APAE-DF passou a assumir o status equivalente de federação estadual do Movimento Apaeano.

 

Apesar de fundada quatro anos após a inauguração de Brasília, a APAE-DF não começou sua história realizando atendimentos diretos a pessoas com deficiência. Sem uma sede própria, o trabalho da Associação era o de atuar na defesa de direitos, captar recursos para atendimentos temporários, inclusive em favor de outras instituições, e promover reuniões itinerantes entre familiares para a troca de experiências e aconselhamentos. Por 25 anos, esses foram os principais focos da entidade, que já percebia a crescente demanda por atendimentos especializados para pessoas com deficiência intelectual e múltipla da cidade.

 

Por iniciativa voluntária de algumas profissionais do ensino especial, lideradas pela professora Maria Helena Alcântara de Oliveira e com a colaboração da psicóloga Erenice Carvalho e da pedagoga Jacinta Fonte Guimarães, a APAE-DF elaborou, em 1985, o seu primeiro projeto de atendimento especializado contínuo para pessoas com deficiência. Verificando as demandas sociais deste público na cidade, a equipe percebeu que a maior carência de atendimentos especializados estava concentrada nos jovens e adultos com deficiência intelectual. Ao deixarem a escola regular, esses cidadãos não se beneficiavam de praticamente nenhuma política pública, ficando à margem da sociedade e reforçando vínculos de dependência em relação às famílias. A partir desta constatação, surgiu a ideia de direcionar o trabalho da instituição para a educação profissional e inserção desses jovens e adultos no mundo do trabalho. A proposta era criar uma metodologia de formação que não se focasse apenas nos comprometimentos desse público, mas que considerasse prioritariamente as suas virtudes e potencialidades. Era preciso enxergá-los em sua totalidade.

 

O projeto inicial elaborado pela equipe de professoras foi apresentado e, depois quatro anos de ajustes e negociações, a entidade conseguiu firmar seu primeiro convênio com a Secretaria de Educação do DF, iniciado informalmente em 1989 e assinado em 1990. O órgão cedeu alguns professores e a equipe gestora da entidade viabilizou os demais recursos necessários para os atendimentos. Com a conquista de algumas salas cedidas pela Companhia Imobiliária de Brasília e com cerca de 20 aprendizes, a APAE-DF deu os primeiros passos práticos do programa de educação profissional e trabalho que se tornaria referência no movimento décadas depois.

 

A Associação desenvolveu seu trabalho com base nas pesquisas de seus professores, nas referências do educador e filósofo Paulo Freire, nas contribuições de outros pensadores da educação, na teoria das inteligências múltiplas, nas contribuições dos familiares e, principalmente, na experiência prática e diária com seus aprendizes. Novas unidades de atendimento foram surgindo além de Brasília – nas cidades do Guará, Ceilândia e Sobradinho – e a diversidade de perfis percebida no público com deficiência intelectual (alguns com outras deficiências e/ou transtornos associados) exigiu novos aperfeiçoamentos na metodologia, que se tornou mais dinâmica e flexível.

 

O Programa de Educação Profissional e Trabalho (EPT) passou a se estruturar em três etapas: 1º) a formação básica para o trabalho (para desenvolver habilidades comuns a qualquer profissional) , 2º) a qualificação profissional (para desenvolver habilidades específicas da futura profissão) e 3º) a inclusão laboral (com o devido acompanhamento para a perfeita inserção do educando no mundo do trabalho). Paralelamente, a partir dos anos 2000, a instituição criou um Programa Acadêmico para ampliar o nível real de escolaridade dos aprendizes e favorecer sua inserção no trabalho. Atividades complementares de informática, arte, esporte, cultura e lazer foram incorporadas ao programa, beneficiando o desenvolvimento integral dos aprendizes. Nas áreas de saúde e bem estar, todos os alunos, desde a sua entrada na instituição, também passaram a contar com o trabalho do SAM - Serviço de Atendimento Multiprofissional, com profissionais das áreas de assistência social, nutrição, psicopedagogia, psicologia e terapias ocupacionais.

 

Entre os grandes sucessos da história da APAE-DF está a qualificação profissional para o trabalho apoiado, modalidade em que o profissional com deficiência (ou um grupo deles) é contratado conjuntamente com um instrutor. O principal projeto na área surgiu em 2006, em parceria com a Universidade de Brasília (UnB), onde a APAE-DF mantém uma oficina de qualificação nas áreas de higienização, conservação e pequenos reparos de bens culturais (livros e documentos). 

 

Outra importante iniciativa foi o Projeto de Atletismo, que acumula medalhas em competições nacionais e internacionais, viabilizando a formação de vários atletas de alto rendimento, beneficiados inclusive pelo Programa Bolsa Atleta do Governo Federal.

 

A APAE-DF também não fechou os olhos para outra demanda social ampliada ao longo das últimas décadas. Desde 2003, a entidade desenvolve um Programa Sócio-ocupacional voltado para pessoas com deficiência intelectual em processo de envelhecimento e/ou com comprometimentos que inviabilizam sua entrada no mercado competitivo de trabalho. A proposta é resgatar ou desenvolver a autonomia deste público para ações do dia a dia, trabalhando a independência em atividades como organização do lar, preparo dos próprios alimentos, cuidados com higiene pessoal e beleza, atividades físicas e artísticas, comunicação interpessoal e trabalhos artesanais como hobby ou para a geração de renda. Por ser um público que cresce a cada dia, a instituição já negocia a ampliação dos atendimentos por meio da criação de novas unidades de centro-dia e residências inclusivas.

 

Atualmente, a APAE-DF beneficia cerca de 730 jovens e adultos com deficiências por ano. Embora mantenha convênios com o Governo do Distrito Federal, por meio de suas secretarias de Educação, Desenvolvimento Social e Saúde, os principais financiadores da entidade continuam sendo os contribuintes da comunidade, pais, familiares e amigos. São esses colaboradores voluntários que fazem a diferença na vida das pessoas com deficiências beneficiadas pela Associação e a quem a nossa instituição dedica suas vitórias.

 

ALGUNS DOS PRINCIPAIS FATOS DA HISTÓRIA DA APAE/DF

 

20/08/64 – Fundação da APAE de Brasília – Numa sala do gabinete de psicologia da Secretaria de Educação do Distrito Federal, reunindo pais de pessoas com deficiência intelectual e professores. Foi nomeada uma diretoria provisória para organizar os trabalhos da associação em Brasília, tendo a Sra. Dalila de Castro Lacerda como presidente, esposa do então Ministro da Educação Flávio Suplicy de Lacerda. Foi escolhida como presidente de honra da associação a Sra. Helena Antipoff , que chegou à cidade naquele dia para as comemorações da Semana do Excepcional, sendo recepcionada pela diretoria provisória da APAE de Brasília.  

 

16/10/65 -  Eleição da primeira diretoria (para gestão de 1 ano) e aprovação do estatuto da APAE de Brasília, que definia dois principais objetivos para a associação: a) estimular as pesquisas, tratamento e ajuste social do excepcional e b) cooperar com a Sociedade Pestalozzi de Brasília na obtenção de recursos necessários à manutenção de serviços relacionados aos problemas dos excepcionais. Helena Antipoff foi mantida presidente de honra e para a diretoria Executiva foram eleitos e empossados: a Sra. Gracie da Glória Flores Moura (presidente); Maria de Lourdes Chagas de Carvalho (vice-presidente); Rui Coutinho do Nascimento (1° secretário); Sra. Ezir Pinto Cavalcanti (2° secretária); Carlos Alberto Franco Mena Barreto (tesoureiro); Sra Alvean Bastos Guimarães (Dir. Relações Públicas). A eleição e posse aconteceram na secretaria da Escola Parque de Brasília.

 

12/12/83 - Lançamento da pedra fundamental da futura sede da APAE/DF na 711/911 Norte e posse da nova diretoria (84/85), com as presenças do governador do DF, Cel. José Ornellas de Souza Filho, do arcebispo de Brasília José Newton Batista, e do presidente das organizações Globo, jornalista Roberto Marinho, que recebeu inclusive o título de sócio honorário da Federação Nacional das APAEs, entregue pelo então presidente da Federação, Sr. Elpídio Araújo Neris, pelos serviços prestados em favor da pessoa com deficiência.

 

05/09/89 - APAE/DF decide iniciar o atendimento a alunos na educação profissional, nas salas da 508 Sul, bloco C, ainda sem ter um convênio firmado com a Fundação Educacional. 

 

30/10/90 - Assinatura de Convênio com a Fundação Educacional e Inauguração da 1ª sede na W3 Sul.  Início dos atendimentos da APAE/DF à pessoa com deficiência intelectual e múltipla.  

 

1994  -  Conquista da cessão provisória de terreno em Ceilândia (EQNN 6/8) junto à Administração Regional da Cidade, para criação de núcleo cooperativo. O local possuía um galpão com área entre 60m² e 80m², apenas com cobertura, sem paredes laterais. Antes de usar o espaço, a APAE/DF precisou viabilizar moradia para algumas famílias de rua que habitavam o local e que se negavam a sair do espaço. Num trabalho de Assistência Social e com o apoio da antiga SHIS – Sociedades de Habitações de Interesse Social, a Associação viabilizou a transferência das famílias e pode ocupar o espaço.

 

24/03/94 – Inauguração da nova sede da Asa Norte. Foram mais de 10 anos de captação de recursos para a construção da nova unidade, desde a conquista do terreno localizado na quadra 711/911 Norte de Brasília. 

 

12/05/95 - Inauguração do Núcleo Cooperativo de Ceilândia – localizado na quadra EQNN 6/8. O prédio foi financiado com recursos da comunidade e doação de empresáros parcerios. A Corde Nacional financiou a aquisição de equipamentos de educação profissional.

 

18/03/98 -  Início dos Atendimentos da APAE no Guará – O Rotary Club da cidade, localizado na QE 38, passou a ceder algumas salas de sua unidade para os atendimentos a pessoas com deficiência intelectual matriculadas na APAE  e que tinham dificuldade de se locomover até a unidade sede da Associação. 

 

14/08/98 -  Início do Serviço de Teledoações – Foi formada uma equipe profissional para a captação de doações em favor dos projetos da APAE por meio de ligações telefônicas numa central montada na 508 Sul.  

 

21/08/99 - 1° Almoço especial do Chef Dudu Camargo – realizado na sede da Associação para os aprendizes da entidade, em comemoração ao aniversário da APAE/DF e à Semana Nacional do Excepcional. Desde então, o chef passou a realizar anualmente o mesmo almoço para os beneficiários do movimento. 

 

03/2003 -  Criação da Oficina Protegida Terapêutica na Sede, com a criação de uma casa modelo para o atendimento de aprendizes mais comprometidos ou em processo de envelhecimento, com base no decreto n° 3.298/99. Deu origem ao Programa de Atendimento Sócio-ocupacional da APAE/DF, atualmente chamado de Centro-Dia. Iniciou o atendimento com 55 aprendizes e quatro professores. 

 

31/10/03 – Inauguração da Ampliação do núcleo de Ceilândia, com a construção de um  novo galpão de 216 m² financiado pela Embaixada da Finlândia no Brasil, no valor de R$ 78.167,00.

 

17/08/04 - Lançamento do primeiro CD da banda Zaktar, intitulado “Babilônia Musical”. O disco foi o resultado de três anos de trabalho dos aprendizes à música e do trabalho orientado pelo professor e músico Luciano Mendes. O repertório da banda é diversificado e conta com elementos do Pop Rock e Rock internacional, além de expressões como o samba, forró e até o choro.

 

23/03/05 -  Inauguração do Centro Vocacional e Tecnológico de Sobradinho, financiado com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e da Embaixada da Finlândia no Brasil.

 

30/10/05 -  Construção do pavimento superior intermediário da Sede, realizado com recursos oriundos de emenda parlamentar, envolvendo esquadrias, fachadas, impermeabilizações e instalações no período de 10/08 a 30/10/05.

 

16/10/06 –  Lançamento do Projeto de Higienização de Bens Culturais da Apae-DF, com a implantação de uma oficina de qualificação profissional na Biblioteca Central da Universidade de Brasília, destinada a inclusão na modalidade de trabalho apoiado.

 

16/03/06 –  Reinauguração do Núcleo de Ceilândia como Centro Vocacional e Tecnológico – com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social – SECIS (aquisição de equipamentos para oficinas e para laboratório de informática); Embaixada da Finlândia no Brasil (construção de muro); e Emenda Parlamentar destinada pelo Sr. Deputado Federal Sigmaringa Seixas (adaptação de espaço).

 

21/11/06 - Inauguração da Cooperativa Inclusiva Maria Flor  na 710/711 Norte,  em Brasília, reunindo o trabalho de 27 pessoas, entre familiares e aprendizes qualificadas pela APAE/DF na área de flores artesanais para eventos. O empreendimento foi viabilizado com o patrocínio da Petrobras, por meio do programa Petrobras Fome Zero. Contou também com o apoio da Sescoop.

 

05/03/07 -  APAE/DF e Fenapaes realizam o 1° Bazar dos Importados, no período de 05 a 11 de março (das 9h às 20h), no estacionamento interno da sede da associação, vendendo mais de 40 toneladas de  produtos apreendidos e doados pela Receita Federal. Cerca de duas mil pessoas em média compareceram à instituição em cada dia do bazar.

 

16/10/07 -  Aprendiz conquista primeiras medalhas de ouro do projeto de atletismo da APAE em mundial. Foi a aprendiz Raimunda Nonata, então com 28 anos, durante o  Campeonato Mundial de Atletismo para Deficientes Mentais, realizado em Fortaleza no período de 16 a 23 de setembro. Foram duas medalhas de ouro nas categorias de 3 mil e 5 mil metros.

 

24/03/08 - Formatura da primeira turma do projeto de Higienização e Pequenos Reparos de Bens Culturais na UnB. Os aprendizes passaram por um ano e dois meses de qualificação na oficina mantida por meio de uma parceria entre a APAE/DF e a Biblioteca Central da Universidade de Brasília. A entrega dos certificados ocorreu no auditório da Reitoria da UnB.

 

21/04/08 - Inaugurada nova oficina de Lavanderia na Sede.  A oficina foi montada no lugar da extinta oficina de Produtos Naturais, com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia, da comunidade e da campanha “Troco Solidário”, realizada pela rede de supermercados Comper.

 

19/06/08 -  APAE/DF e Fenapaes realizam o 2° Bazar dos Importados, no período de 19 a 21 de junho (das 9h às 21h), no estacionamento interno da sede da associação, vendendo mais de 700 tipos de mercadorias (entre eletroeletrônicos e perfumes) doadas pela Receita Federal e que foram apreendidas entre os anos de 2005 e 2008 por irregularidades fiscais.

 

09/09/08 -  Rede Record realiza leilão beneficente em favor da APAE/DF. O evento foi realizado no Iate Clube de Brasília com a presença da apresentadora Maria Cândida. Entre os parceiros estavam Márcia Lima Promoções e Eventos, Iate Clube de Brasília, DJ Honda, Ana Maria Arsky, Sweet Cake, Casa da Redação, Studio Rivera e Dancing Bar. Os itens leiloados foram doados por empresas e artistas da cidade. O evento arrecadou cerca de 20 mil reais para a instituição.

 

01/10/08 - Arquivo Nacional e APAE/DF criam mais uma oficina de higienização de bens culturais, a exemplo da oficina mantida na Universidade de Brasília, para qualificação de pessoas com deficiência. A oficina foi inaugurada com o lançamento de um curso envolvendo 22 alunos da APAE/DF, em duas turmas.

 

15/12/08 -  Câmara Federal contrata serviços de 1ª equipe de trabalho Apoiado da APAE-DF na área de higienização de livros e documentos. Oito pessoas com deficiência qualificadas pela APAE/DF na Universidade de Brasília e um instrutor apoiador foram contratados para atuar como higienizadores do acervo bibliográfico da Câmara dos Deputados. A assinatura do contrato foi realizada durante o “Dia da Acessibilidade 2008”, realizado no Espaço do Servidor, no Anexo II da casa.

 

22/09/09 - Inauguração do Telecentro Apae Acessível, montado na sede da associação num espaço de cerca de 200 m², envolvendo um laboratório com computadores adaptados para uso de pessoas com todos os tipos de deficiência e uma biblioteca. O projeto custou cerca de R$ 250 mil e foi financiado com recursos do Ministério da Ciência e do Grupo Caixa Seguros. A capacitação dos profissionais foi da Acessibilidade Brasil.

 

30/09/09 - Início do programa de atendimento sócio-ocupacional em Sobradinho, favorecendo aprendizes em processo de envelhecimento ou com maiores comprometimentos biopsicossociais.

 

12/03/10 - APAE-DF assina novo convênio com a SEDEST, para cessão de recursos destinados a financiar parte dos custos com 210 aprendizes de baixa renda.

 

29/09/10 -  APAE-DF realiza o I Fórum do Trabalho da Pessoa com Deficiência, no auditório do Museu Nacional de Brasília, Complexo Cultural da República, nos dias 29 e 30 de setembro de 2010.

 

13/12/10 - Senado Federal contrata serviços da 2ª equipe de trabalho Apoiado da APAE-DF na área de higienização de livros. Oito pessoas com deficiência qualificadas pela APAE/DF na Universidade de Brasília e um instrutor apoiador foram contratados para atuar como higienizadores do acervo bibliográfico do Senado Federal.

 

03/01/11 - Supremo Tribunal Federal contrata serviços da 3ª equipe de trabalho Apoiado da APAE-DF na área de higienização de livros e documentos. Quatro pessoas com deficiência qualificadas pela APAE/DF na Universidade de Brasília e um instrutor apoiador foram contratados para atuar como higienizadores do acervo bibliográfico do STF.

 

18/07/11 - Ministério das Relações Exteriores (MRE – Itamaraty) contrata serviços da 4ª equipe de trabalho Apoiado da APAE-DF na área de higienização de livros e documentos. Seis pessoas com deficiência qualificadas pela APAE/DF na UnB e um instrutor apoiador foram contratados para atuar como higienizadores do acervo bibliográfico do MRE.

 

16/11/11 -  APAE-DF realiza o II Fórum do Trabalho da Pessoa com Deficiência e o I Fórum do Envelhecimento da Pessoa com Deficiência Intelectual, conjuntamente no auditório da CNTI, de 16 a 18 de novembro de 2011.

 

07/11/2012 – Criação do Instituto de Diagnóstico da APAE do Distrito Federal (IDB) – Após a assinatura de uma parceria entre a APAE-DF e a Secretaria de Saúde, foi criado um laboratório de exames preventivos (teste da Mamãe) para diagnósticos de doenças em grávidas que ameacem comprometer também os futuros bebês. Os exames são realizados pela APAE em gestantes atendidas pela rede pública por meio do chamado teste da mamãe, que recolhe amostras de sangue coletados do dedo das mães em lâminas de papel filtro. 

 

01/02/13 - O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) contrata serviços da 5ª equipe de trabalho Apoiado da APAE-DF na área de higienização de livros e documentos. Cinco pessoas com deficiência qualificadas pela APAE/DF na Universidade de Brasília e um instrutor apoiador foram contratados para atuar como higienizadores do acervo bibliográfico do Instituto.

 

29/07/13 -  O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contrata serviços da 6ª equipe de trabalho Apoiado da APAE-DF na área de higienização de livros e documentos. Quatro pessoas com deficiência qualificadas pela APAE/DF na Universidade de Brasília e um instrutor apoiador foram contratados para atuar como higienizadores na biblioteca do Tribunal.

 

15/08/14 - Inauguração da nova Unidade do Guará, na chamada “Casa das Pedras”, cedida pela Administração Regional da Cidade, na Colônia Agrícola Águas Claras, Chácara 20.

 

01/09/15 - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) contratou os serviços da 7ª equipe de trabalho Apoiado da APAE-DF na área de higienização de livros e documentos. Onze pessoas com deficiência qualificadas pela APAE/DF e dois instrutores apoiadores foram contratados para atuar como higienizadores na biblioteca do STJ. Um evento social de apresentação da equipe foi realizado no dia 17/09/15.

14/04/16 - Reinauguração da Unidade de Ceilândia após reforma geral.  As obras foram financiadas com recursos arrecadados por meio do título de capitalização APAE CAP (uma parceria entre a APLUB Capitalização e a APAE BRASIL), além da colaboração de outros parceiros voluntários e da comunidade no DF. 

Endereço:
SEPN 711/911 Conjunto E • Brasília • DF
E-mail:
[email protected]
Telefone:
(61) 21010460